Como criar um curso online ?

A internet abriu muitas portas, especialmente para quem tinha o sonho de empreender.

Se você der uma olhada em sua volta (na web, claro), verá que há muitas pessoas começaram a criar um curso online. E isso porque hoje em dia praticamente qualquer conhecimento pode ser transformado num curso e se tornar uma excelente fonte de renda.

E sabe o que é melhor?

Você nem precisa ser um expert em determinado assunto ou contar com equipamentos caros para isso.

E existem cursos em que você nem precisa aparecer, caso tenha medo de câmera (mas há alguns em que isso é necessário).

Hoje aqui vamos te mostrar os passos necessários para você criar seu curso online e publicá-lo para conseguir montar um negócio online que te gerará renda passiva e de forma automática.

O EAD não para de crescer no Brasil

O EAD (Ensino a Distância) é um dos setores que mais crescem no Brasil, mesmo em meio a momentos de crise econômica. E isso é algo fantástico.

Hoje em dia as pessoas tem pouco tempo para se deslocarem de suas casas para fazer um curso. E há também a questão de não haver o curso desejado na localidade em que a pessoa vive.

E os cursos pela internet tem aberto muitas oportunidades de qualificação e aperfeiçoamento para pessoas de diferentes partes do Brasil.

Para se ter uma ideia do quão promissor é esse segmento, segundo dados do último Censo EAD realizado pela ABED (período de 2016 e 2017), existem “561.667 alunos em cursos regulamentados totalmente a distância, 217.175 em cursos regulamentados semipresenciais, 1.675.131 em cursos livres não corporativos e 1.280.914 em cursos livres corporativos.”

E quando há demanda, sabemos eu um mercado é promissor para ingressar com tudo.

Um pouco sobre os cursos online

Como fazer doces, como tocar um instrumento, curso de artesanato, como cultivar rosas, como montar uma horta em casa, como costurar roupas, como aprender a cantar, como adestrar seu cachorro, entre outros. Esses são alguns dentre as centenas de cursos disponíveis na internet.

E não são apenas as empresas, empresários, instituições ou pessoas formadas que podem criar um curso EAD. Se você tem algum conhecimento algum hobby, pode aprender como criar um curso online e transformar isso num produto digital.

Os cursos online podem estar disponíveis tanto em vídeo aulas como também em formato de livro digital (e-books), que são bem mais simples de fazer.

Mas aqui nós focaremos nos cursos em vídeo. No entanto, no final nós passaremos algumas dicas para quem quer começar com um e-book.

Como criar um curso online: em vídeo aulas

Os cursos em vídeo são perfeitos porque você consegue se expressar melhor e mostrar o passo a passo de forma mais eficaz para o aluno.

Mas por onde começar?

Comece tendo em mente o que você deseja ensinar. Quais habilidades você tem? O que você sabe fazer que as pessoas acham que você faz bem? O que você gosta de fazer? E, por fim: o que as pessoas estão buscando?

Para que um curso tenha sucesso é necessário esses três pontos:

– Que seja algo que você tenha uma certa habilidade, que tenha conhecimento;

– Que seja algo que você gosta de fazer (assim não será cansativo ter que pesquisar mais a fundo para desenvolver seu curso);

– E, super importante, que seja um tema que haja demanda (que as pessoas tenham interesse em aprender). Pois não adianta você gostar de algo e ter habilidade e não haver demanda, não existirem pessoas interessadas em aprender sobre isso.

O segundo passo para criar um curso online é o planejamento. E falaremos sobre ele a seguir.

Planejamento

O planejamento não diz respeito apenas ao conteúdo do seu curso, mas também compreende a pesquisa do seu público-alvo (pessoas que terão interesse no curso) e seus concorrentes.

Se você já tem em mente o tema do curso que irá desenvolver, o próximo passo é pesquisar sobre o seu público:

– Idade;

– Localização;

– Interesses;

– Nível de escolaridade;

– O que essa pessoa quer aprender;

– Qual linguagem essa pessoa utiliza;

– Como seu curso ajudará essa pessoa;

– Qual o nível de conhecimento essa pessoa tem com o tema do seu curso (iniciante, intermediário ou avançado);

– Entre outros.

Tudo isso acima te ajudará a definir a sua persona, ou seja, a personificação do seu cliente ideal. E, com isso, você conseguirá estruturar seu curso. Pois a persona é alguém que compraria seu curso.

Inclusive, você pode até mesmo dar um nome fictício a sua persona, por exemplo:

– Paulo é formado em administração de empresas, trabalha 8 horas por dia sob uma CLT, chega em casa cansado, está cima do peso, no entanto não tem tempo para ir numa academia, mas deseja perder peso e ganhar massa magra. Ele gosta de assistir vídeos de antes e depois de pessoas que perderam peso e fizeram uma reeducação alimentar, quer fazer o mesmo mas não sabe por onde começar. Essa seria (mais ou menos) uma persona para um curso de emagrecimento saudável e definição muscular.

 Já na parte de pesquisar seus concorrentes, você pode pesquisar pessoas que estejam vendendo um curso similar ao que você pretende desenvolver. Para isso você pode pesquisar em sites como Hormart (buscando por cursos na mesma categoria que o seu), há também como pesquisar em outras plataformas de ensino como Udemy, iPed, entre outras.

Essa pesquisa pode até mesmo te ajudar a encontrar algum nicho pouco explorado.

No caso da Udemy, ela é uma plataforma que traz cursos de diferentes países, não apenas do Brasil. Logo, você pode pesquisar por cursos que tenham em inglês ou espanhol e ver se estão tendo um bom retorno e tentar fazer algo similar.

Conteúdo do curso

O ponto seguinte a ser tratado é quanto ao que seu curso abordará. Com base na pesquisa dos concorrentes você terá maior clareza quanto ao que deverá abordar.

Para isso você pode (e é recomendado) fazer uso de um software como um mapa mental para conseguir se organizar melhor.

Os chamados “mind maps” te ajudam a estruturar os conteúdos das suas aulas, com um software desses você consegue organizar os módulos do seu curso, o que será abordado em cada aula, etc.

Em resumo, com os mapas mentais você consegue organizar e interligar ideias. Há até mesmo quem faça mapas mentais sem o uso de um software de computador ou dispositivo móvel, mas usando um caderno mesmo ou uma folha e papel, no entanto, esse processo pode ser bem mais complicado.

Na parte de ferramentas falaremos mais sobre os mind maps para você estruturar seu curso (ou cursos).

Equipamentos e ferramentas necessárias

Agora que você já sabe sobre o que será seu curso, já pesquisou sobre seu público e a concorrência e já estruturou as aulas, precisará de algumas ferramentas para conseguir criar um curso online. Conheça as melhores ferramentas de marketing digital.

Mapa mental

Nós já falamos aqui sobre a primeira ferramenta que é o mapa mental, onde você conseguirá estruturar suas aulas.

A maioria das ferramentas são pagas, mas há uma ferramenta que te permite criar até 3 mapas mentais gratuitos que é o MindMeister.

O MindMeister é uma ferramenta super intuitiva e simples de usar. Com ele você consegue organizar as ideias e saber exatamente qual aula gravar em seguida.

Programa para editar vídeos

Não citaremos nomes aqui porque tudo vai depender das suas necessidades e também das sua capacidade financeira (no caso de um editor pago).

O editor de vídeos servirá para você fazer cortes nos vídeos, acrescentar efeitos, alguma informação importante, converter para um formato em específico (mp4, avi, etc), entre outros.

Existem os editores pagos e os gratuitos (que também oferecem bastante recursos e são ideais para quem está começando). Vale mencionar que há também editores pagos de custo menor e que oferecem ótimos recursos para edição de vídeos para quem está começando ou para quem deseja algo simples e muito útil.

Um bom editor de vídeo, além de permite que você faça cortes e junte partes do vídeo, te permitirá aplicar efeitos.

Mas, caso você não queira lidar com essa parte, saiba que poderá contratar um profissional que edite seus vídeos. Você teria um custo a mais, no entanto teria vídeos mais profissionais.

Uma excelente ferramenta utilizada por profissionais no mercado é o Adobe Premiere.

Uma boa câmara para gravar

Para quem está começando, a câmera do smartphone pode ser uma boa opção. Mas é importante que o seu aparelho grave vídeos, ao menos, em HD.

Existem muitos canais do Youtube e muitas pessoas que criaram cursos usando a câmera do celular.

Com o tempo, você pode investir numa câmera com uma qualidade melhor. Mas se você já possuir uma verba para isso agora, então pode investir numa DSLR que é uma câmera mais profissional, com uma qualidade vídeo muito melhor e com a possibilidade de usar lentes intercambiáveis, por exemplo.

No entanto, o valor de uma DSLR parte de R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais) e pode chegar na casa dos R$ 10.000,00 (dez mil reais).

Iluminação

Se for um vídeo onde você precise aparecer ou onde precise mostrar você fazendo alguma coisa (como em cursos em vídeos de artesanato ou de instrumento musical), você precisará de uma boa iluminação.

A iluminação te ajudará a conseguir imagens com nitidez e boa qualidade, mesmo usando seu aparelho celular. E ainda que tenhas uma boa câmera, a iluminação é algo indispensável.

Se você puder gravar próximo a janela, então não terá que investir em equipamentos de iluminação, podendo aproveitar a luz natural. Agora se não puder fazer isso, você precisará investir em um softbox ou pode também conferir alguns tutoriais na internet para fazer um caseiro.

Cuidando do áudio

Se nem mesmo o áudio de uma boa câmera é tão razoável, quem dirá de um celular?

Um vídeo com áudio de baixa qualidade atrapalhará o espectador de compreender o que você deseja transmitir.

Mas você não precisa investir muito para ter um áudio razoável. Com um microfone de lapela para celular você já consegue uma boa qualidade.

Há quem use o próprio microfone que vem com o celular para fazer as gravações. A depender da qualidade desse microfone, pode ser uma boa ideia para começar. Depois você pode usar um editor de áudio para melhorar a qualidade: remover ruídos, chiados, etc.

Agora, se você puder investir um pouco mais, pode fazer uso de um gravador digital onde poderá ligar o microfone de lapela (o áudio obtido será numa qualidade ótima, até mesmo com um microfone de lapela mais barato).

Gravador de tela

Se os seus vídeos forem focados em mostrar o que você está fazendo no computador (tutoriais), é importante contar com um bom gravador de tela.

Com esse programa você consegue gravar tudo o que faz no computador e também pode captar o áudio, fazendo a narração do passo a passo.

Há softwares que além de gravar a tela ainda permitem a edição do vídeo, como o Camtasia.

Já uma versão gratuita para captura de tela seria o aTube Catcher. No entanto existem muitas outras opções disponíveis e que você pode testar para ver o melhor para você.

Roteiro para os vídeos

Nós falamos aqui sobre o uso dos mapas mentais, eles também podem te ajudar na criação do roteiro das vídeo aulas.

Você pode definir o subtema de cada aula, já que o tema central será o do módulo do curso, por exemplo:

– No módulo 1 será a introdução e dentro desse módulo terão 5 aulas e cada uma delas abordará sobre um tema que introduzirá o aluno no curso: conceitos, o que é, como começar, etc.

O roteiro é algo extremamente importante e a criação dele se tornara mais fácil se você já houver definido o tema do curso.

Mas não pense que o roteiro deixará seus vídeos “robotizados”, há pessoas quem criam um roteiro apenas para saber sobre o que abordarão em cada vídeo aula, mas eles quase sempre improvisam em 50% do vídeo. E isso ajuda a deixar as aulas mais naturais.

Os roteiros ajudam a organizar os tópicos do curso de modo com que o aprendizado do aluno seja eficiente. Ou seja, há um caminho que é traçado para ele seguir e ter sucesso.

Em outras palavras, o roteiro ajuda você na hora de gravar as aulas e também torna o aprendizado dos alunos mais eficaz.

Material complementar

Você pode também investir em materiais complementares para tornar o aprendizado do aluno ainda mais eficiente.

Esse material complementar pode ser um e-book, algumas páginas para o aluno acompanhar as aulas, etc. E nas plataformas que apresentaremos ainda aqui você pode inserir esses materiais complementares para os alunos baixarem.

Aulas objetivas

É importante que você crie aulas curtas e focadas, pois aulas com horas de duração podem deixar o aluno desanimado, cansado.

Deve sempre haver um equilíbrio: não deixe as aulas longas demais e também não deixe-as com pouca informação. Seu aluno precisa concluir cada aula entendendo o que foi apresentado, mas de forma tranquila.

Nesse ponto o roteiro é muito importante para te ajudar a criar aulas com começo, meio e conclusão.

Falamos para evitar aulas longas, no entanto pode ser que um determinado curso precise que os vídeos sejam maiores. Ainda assim tente ser objetivo, indo direto ao ponto.

Plataformas para curso online: onde hospedará seu conteúdo

Antigamente para colocar um curso no ar você teria que adquirir um domínio e uma hospedagem e criar um site. Nisso você teria que contratar um profissional para criar um site voltado para isso, com os recursos necessários.

Mas atualmente já existem muitas plataformas para curso online onde você não paga nada para subir seu curso.

Nessas plataformas você consegue subir seu curso em passos simples e não precisa contratar nem domínio, nem hospedagem e nem mesmo gastar com ferramentas para fornecer interatividade.

Há desde plataformas como o Hotmart Club até outras como a Udemy e Monetizze, onde você pode publicar seu curso gratuitamente.

Aprenda o que é Hotmart, suas vantagens e como cadastrar seu curso

Nessas plataformas você conta com um reprodutor de vídeo e outros recursos para que o aluno possa assistir as aulas sem maiores dificuldades. Há, inclusive, outros recursos como campo de perguntas e respostas e você pode também disponibilizar anexos (como material de apoio ou bônus, por exemplo).

E essas plataformas possibilitam que os alunos assistam as aulas do computador, tablet ou aparelho celular.

Como criar um curso online: em formato de e-book

Nós falamos antes que a criação de um curso em formato de livro digital é bastante simples.

Para a elaboração de um livro digital (e-book), o processo seria similar ao da criação de um curso em vídeo. Exceto pelo fato de você não ter que se preocupar com vídeo e áudio.

Para desenvolver um e-book bastar seguir os passos de planejamento, definição de tema, pesquisa se público-alvo, de concorrentes e desenvolvimento do conteúdo em texto.

Você pode começar escrevendo o conteúdo do seu e-book usando o Google Docs ou mesmo poderia usar o Foxit Editor ou criar no Canvas (todas ferramentas gratuitas). Inclusive, no Canvas há como criar uma capa comum para o seu livro digital.

E esse livro pode ser comercializado em plataformas para curso online como Hotmart, Monetizze, Amazon, etc. E você também não precisaria se preocupar em gastar com criação de sites ou algo assim para hospedar seu e-book.

Conclusão

Criar um curso online não é uma tarefa difícil, apenas exige tempo e organização.

Há pessoas que até mesmo entendem pouco de um assunto, mas fazem uma pesquisa aprofundada, contam com ajuda de profissionais e desenvolvem um curso ótimo e obtém resultados positivos com as vendas.

Seguindo os passos que apresentamos aqui de como criar um curso online você conseguirá criar seu primeiro curso em pouco tempo.

Agora aprenda como vende seu curso online no Hotmart.

Descubra também como criar outros tipos de infoprodutos e quais suas vantagens